Yarmolenko terá que vencer tabu e a desconfiança no Dortmund
Share:

Yarmolenko terá que vencer tabu e a desconfiança no Dortmund

Apesar da pequena valorização, ainda é muito frequente que os melhores jogadores das ligas da Europa Oriental continuem mais tempo nos seus próprios clubes ao invés de se aventurar em outros países. Muito por conta também da resistência de grandes europeus quanto ao investimento em jogadores provenientes desses países.

Arshavin, após sua aparição meteórica pelo Zenit e o brilho na Euro 2008, nunca conseguiu repetir o brilho do seu curto auge, mesmo com uma passagem de quatro anos pelo Arsenal. Konoplyanka chegou ao Dnipro em 2007 e com 18 anos já fazia parte do elenco principal. Depois de se sagrar vice-campeão ucraniano e levar o time a uma final europeia, foi disputado por muitos clubes. Com o final de seu vínculo, assinou de graça com o Sevilla, mas não conseguiu se firmar. Apesar do bom início de temporada no Schalke 04, também decepcionou em seu primeiro ano.

Constantes insucessos de jogadores do leste europeu nas principais ligas do mundo não impediram o Borussia Dortmund de apostar em Yarmolenko. Alvo declarado do clube há dois anos e seguido pelos olheiros do Borussia há, pelo menos, três anos, o ucraniano se realiza como reforço providencial para cobrir a saída de Dembélé. O pouco tempo de janela restante que o Dortmund teve para buscar uma reposição e a crise financeira em que se encontra o Dynamo foram fatores decisivos na negociação.

Remando contra a atual maré das transferências, Andriy Yarmolenko foi contratado pelo Dortmund por 25 milhões de euros para ser, na teoria, o substituto de Dembélé no elenco. Mesmo que suas características não sejam exatamente as mesmas do jovem francês.

Yarmolenko
Foto: Divulgação/Dortmund

Talvez uma transferência há dois ou três anos teria beneficiado a projeção do atacante a nível internacional, ainda assim Yarmolenko não deixou de lado o sonho de fazer história em Kiev – e fez. Os números não negam: 137 gols e 89 assistências em 339 jogos pelo Dynamo e desde 2009 na seleção ucraniana marcando 29 gols e 17 assistências em 70 jogos. Tricampeão do Campeonato Ucraniano e da Supercopa, além de bicampeão da Copa da Ucrânia. Eleito ainda por três vezes futebolista do ano na Ucrânia (2013, 2014 e 2015) e artilheiro do último campeonato nacional (2016/2017). Antes de sair de Kiev, Andriy deixou sua marca na história.

Relação afetiva com Kiev

Andriy nasceu em São Petersburgo (Rússia) e com 3 anos de idade se mudou para Ucrânia. Aos 13 anos foi chamado para um teste no Dynamo de Kiev e, mesmo com sua família sendo contra sua ida, acabou indo e passando. Porém, considerado fraco fisicamente, após o primeiro ano no clube foi dispensado.

A sua segunda chance no Dynamo de Kiev veio apenas em 2006. Com início ruim, tudo mudou quando o treinador Valeriy Gazzaev o tirou da centroavância para colocá-lo aberto do lado direito. Yarmolenko começou a aparecer com mais constância na equipe titular do Dínamo a partir de 2009 e realizou sua estreia pela seleção Ucraniana contra Andorra no mesmo ano.

A partir disso os laços do jogador com Kiev se estreitaram: sua família acabou se mudando para a cidade, além da sua namorada na época. Sem dinheiro, Andriy contou com a ajuda do clube para comprar um apartamento na cidade. Aos poucos o jogador se tornou importante para o Dynamo dentro e fora do campo, fator importante na permanência de Yarmolenko entre os profissionais do clube por quase dez temporadas.

Yarmolenko
Foto: Alex Karagov

Comparações e polêmicas

O fato de ter começado como atacante de referência significou frequentes comparações com Andriy Shevchenko, apesar de ambos serem totalmente diferentes. É verdade que Yarmolenko faz diferentes funções do ataque, mas rende e sempre rendeu mais jogando aberto pela direita. Habilidoso e vertical quando em arrancada ao gol, pode ser peça interessante no 4-3-3 habitual do técnico Peter Bosz.

Não pode ser ignorado, no entanto, o fato de que a demora do ucraniano para trocar de liga pode ter tido um impacto negativo em seu desenvolvimento, algo que só deve ser colocado a prova mesmo nos próximos meses. Seu ápice foi na temporada 2014/2015 e, por ter ficado em uma liga relativamente bem mais fraca que as principais do mundo, nunca teve grande exigência tática, algo que seu novo treinador cobra bastante, principalmente no gegenpressing empregado.

No entanto, seu lado pessoal em que, sincero por completo, chama muito mais atenção por ser anormal no conturbado lado midiático do futebol. Possivelmente sua declaração mais impactante foi ao jornal espanhol Mundo Deportivo no começo de 2016, época que era especulado em Barcelona e Everton.

É melhor jogar pelo Everton. É claro que você pode ir ao Barcelona, tirar uma selfie legal com Messi, por imagens no Instagram e ganhar milhões de seguidores e ser querido, uma estrela, mas eu não gosto disso. Para mim, é importante jogar. Se eu não jogar duas vezes na semana, eu não tenho como soltar minhas emoções e energia. Minha família ficaria maluca. Se eu jogo, no dia seguinte estou calmo e sorrindo, se eu não jogo e fico deitado em casa, não é bem assim“, declarou o jogador.

Sua recente recente entrevista contando bastidores da negociação e algumas opiniões próprias concluem um nível de profissionalismo incrível, evidenciando o quão verdadeiro e honesto se tornou. Possivelmente pelos anos de prováveis negociações frustradas em diversos clubes e sempre tentando manter os pés no chão, sem forçar quaisquer tipo de comportamento agressivo.

Para mim é um passo à frente, algo que sonhei por um bom tempo. Agora preciso trabalhar mais forte e mostrar que eu mereço jogar em um clube como o Borussia Dortmund. No momento preciso me adaptar ao novo time e estudar alemão. Por pelo menos meio ano vou focar nos treinos e em estudar o idioma. Eu acho que o jogador precisa falar o idioma do país que ele está jogando”, disse.

A consolidação necessária

Por não queimar etapas, o momento de definitivamente provar o seu valor tenderá a ser mais rápido e completo, independente de obstáculos da adequação. Sair da zona de conforto no país que sempre esteve acostumado e partir rumo a Alemanha é um passo adiante. Constantes especulações parecem não ter influenciado o desempenho de Andriy, que demonstrou capacidade de voltar seus esforços para se firmar como um dos maiores da história do futebol ucraniano.

Todos os caminhos indicam que Yarmolenko pode ter uma passagem de sucesso pelo Borussia Dortmund. Basta saber se o atual camisa 9 auri-negro vai conseguir se adaptar a nova realidade e fazer a diferença que se espera, mesmo que demore um pouco mais.

TEXTO PUBLICADO NO ENDSPIEL

This error message is only visible to WordPress admins

Error: API requests are being delayed for this account. New posts will not be retrieved.

There may be an issue with the Instagram Access Token that you are using. Your server might also be unable to connect to Instagram at this time.