Como Witsel pode elevar o patamar do meio-campo auri-negro
Share:

Como Witsel pode elevar o patamar do meio-campo auri-negro

Se o cérebro é o computador central e o centro de todas as ações, o meio-campo de uma equipe de futebol, tido como o setor que mais influencia na organização de um time, tanto na parte ofensiva quanto defensiva, equivale-se a cabeça — local onde o cérebro se encontra. E pra funcionar bem, na maioria das vezes, é necessário jogadores com qualidade na criação das principais jogadas ofensivas e responsabilidade defensiva.

O Borussia Dortmund após perdas importantes de jogadores cruciais para o andar do time nos últimos anos — principalmente na área central do campo, tornou-se um pêndulo. O time movimenta-se em direção ao ataque por muitas vezes sem intensidade e, quando perde a posse de bola, no movimento de retorno da equipe entre o meio-campo e a defesa, encontra imutáveis dificuldades na recomposição. Vale salientar que a era pós-Hummels também não foi nada proveitosa, muito pelo contrário, a defesa auri-negra tornou-se marca do fracasso posterior a saída do ex-capitão.

Com um agressivo papel no mercado de transferências e buscando alguns jogadores já consolidados na liga e em carreiras internacionais, tudo indica que a conta finalmente chegou. Desta maneira, Axel Witsel foi contratado visando agregar versatilidade e domínio necessário da faixa central, algo até então inexistente nos elencos das temporadas passadas. Vindo do futebol chinês, a aclamada oportunidade de atuar em uma das principais ligas da Europa e do Mundo finalmente surgiu com alguns anos de atraso na vida do belga de 29 anos.

Witsel emergiu para a Europa ao conquistar a Chuteira de Ouro do Campeonato Belga de 2008. (Foto: Eric Lalmand/Philippe Buissin/Didier Moissat)

Desde os 9 anos de idade no Standard Liège e aos 15 já cobiçado por Real Madrid, Arsenal e Feyenoord, Witsel surgiu no mundo do futebol ao conquistar o Campeonato Belga em 2008 e na temporada seguinte produzir grandes performances pela Liga Europa, além de participar de jogos contra a Estônia e Espanha pela Seleção da Bélgica. Vendido ao Benfica por 8 milhões de euros em 2011, o camisa 28 não demorou muito pra despontar na terra do bacalhau. Mesmo atuando mais recuado, Axel marcou 5 gols e deu 6 assistências em 52 jogos pelo time da águia.

Depois de ser especulado em Barcelona, novamente Real Madrid, e ter uma oferta recusada de €35 milhões da Inter de Milão, em 2012 surpreendentemente foi contratado pelo Zenit por €40 milhões e rumou a Premier League Russa. Após 5 anos na Rússia e movido pelo interesse financeiro, Witsel foi vendido ao Tianjin Quanjian por €20 milhões e pelo mesmo valor, 1 ano e meio depois, enfim surge no denominado top-5 ligas da Europa e consequentemente enfrentará o maior desafio profissional da sua carreira: provar-se aos 29 anos no Borussia Dortmund.

Proveniente da “ótima geração belga” e do inédito 3º lugar na Copa do Mundo de 2018, Witsel demonstrou merecer — com grandes atuações, uma nova chance na prateleira das grandes ligas europeias. Foto: (vaaju.com/getty)

Durante toda sua carreira, o agora camisa 28 auri-negro tem como uma de suas principais características a versatilidade e a polivalência de poder atuar em vários espaços do campo. Apesar de ter sido lançado ao mundo do futebol como meia-armador de enganche, seu desempenho como box-to-box e médio defensivo não podem ser inexplorados. Diferentemente de como atuou no 3-4-2-1 de Roberto Martínez pela Seleção Belga, acredito que no Borussia Dortmund de Lucien Favre ele terá menos funções e mais atribuições dentro de campo.

A seguir, farei um panorama geral de como Witsel poderá ser encaixado pelo treinador suíço em algumas vertentes possíveis e como poderá atuar da maneira mais adaptável no provável 4-3-3 ou 4-1-4-1 utilizado nos amistosos recorrentes da pré-temporada auri-negra.

Construtor recuado de jogo

Após a lesão de Julian Weigl e com atuações pífias de Nuri Sahin, ficou evidente a existência de uma brecha no elo defensivo do meio-campo do Borussia Dortmund. Com um excelente passe e forte fisicamente, Witsel pode desempenhar bem a função de se introduzir entre os zagueiros para a saída de bola, ocasionando o avanço dos laterais e formando uma primeira linha de 3 com a bola.

Box-to-box

Com o retorno de Weigl — que deverá ser o dono da posição, ou até mesmo por opção de Lucien Favre, o camisa 28 auri-negro consegue atuar fazendo tanto a função de volante quanto a de armador, indo e voltando o tempo todo entre as duas intermediárias, podendo até mesmo surgir como elemento surpresa no ataque. Além do mais, um atributo determinante para a posição, e que Witsel domina, é o chute de longa distância sendo capaz de aproveitar as sobras na entrada da área ou até mesmo bolas ajeitadas pelos atacantes, que fazem o papel de pivô. Talvez essa seja a sua distribuição ideal em campo e a de maior carência no elenco do Borussia Dortmund.

Meia-armador avançado

Em caso extremo de maior necessidade de marcação e de vigor físico em campo, o Borussia Dortmund pode ter a possibilidade de escalar Delaney e Witsel juntos, apesar de achar extremamente difícil. Ambos prezam pela força e capacidade de chegar bem ao ataque, além de conseguirem defender da mesmo maneira. Preferindo Dahoud e recuando Delaney para a armação de primeiro volante de origem, também é possível ter Witsel com mais liberdade e criatividade armando as jogadas no campo adversário. Contudo, tende a ser a função mais inadequada, tanto para o jogador, quanto para o time.

Diferentemente da política de contratações de outras janelas de transferências, o Borussia Dortmund decidiu apostar num jogador completo. Agora com um leque de opções no meio-campo, Witsel pode ser a cereja do bolo que tanto faltava ao elenco auri-negro. Versátil, criativo, físico, passador e marcador, o belga chega com status de titular e com um 3º lugar da Copa do Mundo na bagagem. Aos 29 anos, o tempo pode lhe ter sido prejudicial, visto que chega relativamente tarde a uma liga de topo da Europa. Entretanto, acredito que não haveria um momento melhor para definitivamente consolidar seu auge.