Bas Dost é a garantia de gols que faltava ao Eintracht Frankfurt
Share:

Bas Dost é a garantia de gols que faltava ao Eintracht Frankfurt

Desde às boas vendas de Luka Jovic e Sebastian Haller, o Eintracht Frankfurt buscava um homem de área capaz de responsabilizar-se pela principal tarefa a ser realizada no futebol: fazer gols. Do mais jovem ao mais velho, diversos candidatos foram analisados de acordo com as várias especulações que rondaram o clube. Claro, estavam cientes que dificilmente conseguiriam jogadores do nível dos atacantes anteriormente citados, mas sabiam que poderiam chegar o mais próximo possível. Então, garantiram Bas Dost.

Antes de analisar o jogador, é preciso entender o contexto pelo qual ele estava inserido em temporadas anteriores. Há não muito tempo, Bas Dost atuava pelo Wolfsburg e até deixou alguns gols, principalmente na temporada 2014/15, quando chegou a fazer 16 na Bundesliga. No entanto, foi quase que chutado ao Sporting em 2016. Assim, dá pra dizer que a sua primeira passagem pelo campeonato alemão foi de altos e baixos, desde o gol que “deu” título de Supercopa a meses sem marcar um único gol.

Então, foi ao campeonato português em busca de mais minutos e acabou atingindo um nível que jamais havia conseguido na carreira. Logo na sua primeira temporada, chegou a ser candidato direto pela Chuteira de Ouro, perdendo apenas para Messi. Ali foi o seu principal auge da carreira. Em três anos de Sporting, além de atuações pra lá de aceitáveis, fez o que se pede a um centroavante: gols. Ao todo foram 93 em 127 jogos. Apesar de ter terminado a última época como reserva, o Frankfurt enxergou nele uma boa oportunidade mercado, pagando cerca de 7 milhões de euros na contratação.

Imago Images

Para o estilo de jogo de Adi Hütter, com um centroavante mais fixo e capaz de abrir espaços para o apoio de outro atacante mais móvel, a chegada do holandês de 30 anos cai como uma luva. Bas Dost tá longe de estar no mesmo nível que, por exemplo, Sebastian Haller. Mas possui características próximas das do francês e pode contribuir bastante a curto prazo, que era o que faltava ao Frankfurt no momento. Para o médio prazo, Gonçalo Paciência – na medida do possível – pode dar conta. E para o futuro, já basta o promissor Dejan Joveljic, que também foi contratado para englobar o pelotão de frente.

De qualquer modo, Bas Dost é o complemento necessário para as águias: extremamente forte fisicamente, exímio cabeceador e apto a jogar de costas. Considerando o alto nível físico que a Bundesliga requisita, ele possui todos os atributos necessários para deslanchar no campeonato. Por mais que o Frankfurt tenha regredido em qualidade quando comparado a temporada anterior, ainda é uma equipe que pode abarcar na luta por uma competição europeia. E claro, Bas Dost sabia disso ao sair da zona de conforto em Portugal.

Além da bagatela paga, que inegavalmente foi um forte fator, o aspecto técnico do impacto imediato foi a grande questão do negócio. Encontrar um centroavante no atual inflacionado mercado europeu com experiência, que conheça a liga nacional, e que garanta gols por um valor próximo do nulo é extremamente raro. Até acredito que o Frankfurt poderia ter investido mais em um jogador que também tenha essas características, mas fosse um pouco mais jovem. No entanto, Bas Dost está longe de ser a pior das hipóteses, e ainda tem muito lenha pra queimar.

This error message is only visible to WordPress admins

Error: API requests are being delayed for this account. New posts will not be retrieved.

There may be an issue with the Instagram Access Token that you are using. Your server might also be unable to connect to Instagram at this time.