A precoce aposentadoria dos palcos de Hardwell representa o quão desgastante se tornou ser DJ

Cada vez mais comum no mundo da música eletrônica, Hardwell surpreendeu o mundo ao anunciar seu afastamento por prazo indeterminado dos palcos. Aos 30 anos, o DJ holandês alegou não conseguir lidar mais com a pressão e precisa de um tempo para refletir sobre tudo o que aconteceu nos últimos anos. Contudo, continuará produzindo música. Sua última aparição ao público será no Amsterdam Dance Event, em outubro.

Nascido em janeiro de 1988, Robbert Van de Corput, mais conhecido pelo seu nome artístico Hardwell, começou a estudar piano com seis anos de idade influenciado por seu pai, que amava fazer covers de James Brown e Michael Jackson. Com dez, assistiu a um documentário sobre DJ’s holandeses (Tiësto, Armin Van Buuren, Ferry Corsten e outros), virou para os pais e disse: “Quero ser DJ”. Já aos doze anos, começou a produzir as próprias músicas (o pai sugeriu o nome artístico e Robert virou Hardwell).

Em 2006 começou um canal no YouTube, no qual deu início ao seu renomado radio-show, Hardwell On Air. Possuindo mais visibilidade, o jovem holandês buscava cadastrar seus remixes em serviços de compartilhamento usando palavras-chave associadas a artistas mais famosos, assim aumentando as chances de ser “descoberto” na internet.

Após a ascensão com “Show Me Love vs. Be”, Hardwell colaborou com a sua grande inspiração, Tiësto, em “Zero 76”. A track ganhou esse nome em referência ao código de área aonde nasceram, em Breda, na Holanda. (Foto: Tomorrowland/Divulgação)

Dando sequência a sua evolução no mundo da música eletrônica, Hardwell fundou sua própria gravadora, a Revealed Recordings, em 2010. No ano seguinte, foi classificado como número 24 na lista Top 100 DJ da revista DJ Mag. Já em 2012, número 6. Proveniente da visível crescente artística e vivendo seu auge, o holandês foi eleito o “melhor DJ do mundo” em 2013 e 2014 pela mesma revista, desbancando várias lendas da música eletrônica, como David Guetta, Tiësto e Armin van Buuren (que tinha ficado no topo por cinco edições).

Após esse período nos holofotes, o DJ acabou se envolvendo em uma polêmica quando perdeu o posto de número 1 do mundo para Dimitri Vegas & Like Mike em 2015, alegando que houve compra de votos por parte dos belgas. A partir daí, nos anos seguintes, 2016 e 2017, ele ficou fora de três edições da Tomorrowland, duas belgas e uma brasileira e, segundo as especulações, o grande motivo desse corte foi realmente por conta do atrito com a dupla de DJs — residentes no evento.

Entretanto, em 2017, o Like Mike, um dos integrantes do duo, publicou uma foto no Instagram de um almoço ao lado de Hardwell, dando a entender que os atritos do passado foram deixados para trás. E realmente foram. Neste ano, no mesmo dia que o holandês retornou ao Tomorrowland no Mainstage, ele e Dimitri Vegas & Like Mike lançaram uma colaboração denominada “Unity”, que tocou em diversos sets do festival.

Apesar do atrito polêmico e da perda significativa de posto na principal revista do ramo, o ano de 2015 talvez tenha sido o divisor de águas para sua carreira, visto que lançou seu primeiro grande álbum, “United we are”. Além disso, lançou um segundo documentário denominado “I am Hardwell – Living the dream”, que deu sequência ao primeiro lançado em 2014, “I Am Hardwell”. E por último, criou a United We Are Foundation, organização que já promoveu dois shows na Índia para arrecadar fundos destinados a financiar a educação de crianças carentes naquele país e no mundo todo.

“Em certo momento da minha carreira, me engajei em dar algo de volta à sociedade”, justifica o DJ.

Aos 30 anos de idade e com mais de uma década de carreira, Hardwell anunciou pelo Instagram que irá se afastar por tempo indeterminado das pistas. Diferentemente de Avicii — que em 2016, apesar de não confirmado oficialmente, foi obrigado a anunciar uma pausa nas performances por conta de problemas médicos, o DJ holandês adentrou na mesma perspectiva do sueco em focar nas produções e ter mais tempo para viver sua vida como pessoa normal. Calvin Harris foi outro a se manifestar recentemente sobre o tema, afirmando que não fará mais turnês, optando em priorizar a carreira nos estúdios.

View this post on Instagram

Hello world, Ever since I was a little kid I dreamed of the life I live this very moment. A life filled with music, real human interaction and the freedom to express myself in the purest form I know. I have grown from an ambitious kid with everything to gain into the 30-year old I am today whilst evolving as an artist with triple the speed of my aging process. Over the past few years I’ve come to know myself better and better and over time I realized that there’s still so much I want to share with my family and friends, so many roads I’d like to explore, but being Hardwell 24/7 leaves too little energy, love, creativity and attention for my life as a normal person to do so. This is why I have decided to clear my schedule indefinitely to be completely liberated from targets, interviews, deadlines, release dates, etc. I’ve always dealt with all the pressure that comes with the heavy touring schedule, but for now, it felt too much, like a never ending rollercoaster ride. I always try to give myself 200% and in order to keep doing that, and feeding my creativity, I need some time off to be me, the person behind the artist and reflect on everything that happened the last few years. That means my touring schedule has ended yesterday on Ibiza on September 6th, 2018 with a bang. However, I will still do my All Ages show in the Ziggo Dome during Amsterdam Dance Event on the 18th of October 2018. I’ll keep making music and I will never let go of it and will always aim to continue to connect with my fans through it. Last but not least I want to thank every single one of my fans for the support so far. It is your love and dedication for all I’ve put out there that helped me evolve in more ways than I ever could have imagined, and I realize that I do owe everything to you all. My sincerest hope is that we will be able to continue this journey together. I want to come back stronger than ever, but for now, I’m just going to be me for a while. Robbert

A post shared by Hardwell (@hardwell) on

Com o crescimento exacerbado do cenário de música eletrônica no mundo, decisões como essa provavelmente passarão a ser mais comum entre DJs de grande porte. Apesar de ser lucrativo, a rotina de por vezes ter que estar em dois países diferentes em menos de 24 horas é mais do que desgastante, é desumana. Ainda assim, não é justificativa, isto posto a paixão e o sonho de estar ali. Além do que, muitos hoje em alta, passaram por diversas dificuldades até o sucesso extremo.

Atualmente, não é segredo pra ninguém que produzir com divulgação em plataformas digitais se tornou mais vantajoso no ponto de vista financeiro e até mesmo físico-psicológico, comparado a turnês, álbuns e shows à parte. Provavelmente esse foi o principal motivo que desencadeou a vontade de Hardwell em dar um tempo de metas, entrevistas, prazos, datas de lançamento, etc.

“Sempre lidei com toda a pressão que vem com um calendário de turnês pesado, mas agora chegou em um ponto em que pareceu pesado demais, como um passeio de montanha-russa sem fim”, declarou o DJ de 30 anos em seu texto publicado nas redes sociais. (Foto: hapy.my)

O fato é que Hardwell pausa suas performances logo quando o retorno do progressive e electro house (especialidades do holandês) estão cada vez mais próximos de acontecer. É claro que uma decisão surpreendente como essa, vindo de um dos grandes nomes da EDM, impacta diretamente no cenário.

Apesar de ter retornado ao Tomorrowland em 2018, o holandês não vive um grande ano e sua queda de rendimento é visível. Natural que nenhum indivíduo consiga regularmente desempenhar bem quaisquer que seja a função durante muito tempo. Olhando pelo lado do ser humano, a pausa por tempo indefinido dos palcos pode ser benéfica, dado que também é necessário viver além da pessoa pública. Entretanto, do ponto de vista de carreira, o engajamento com os fãs, principal maneira de transmitir energia por meio de música, será o grande prejudicado.

About Bruno Povoleri

Cursando Comunicação Social e apaixonado pelo futebol alemão. Games, Vasco da Gama e Borussia Dortmund.